EnglishFrenchGermanSpainItalianDutchRussianJapaneseChinese Simplified

 

quinta-feira, março 16, 2017

Quinta da Romaneira (branco) - Reserva 2015



 Região (DOC): Douro / Castas: Malvasia Fina e Gouveio / Produtor: Sociedade Agrícola da Romaneira / Enólogo: António Agrellos / Tipo: Branco / Ano: 2015 / Álcool: 13%. 


Digamos que, este branco, rubricado pelo enólogo António Agrellos, provem de uma das maiores e mais antigas quintas do Douro, a Quinta da Romaneira.

De tom amarelo claro e laivos esverdeados. Aroma expressivo e fresco, onde sobressaem, notas frutadas "pêssego", leves apontamentos cítricos e uma delicada envolvência a tosta. Na boca, mostra-se, fresco, subtilmente seco, evidenciando o seu lado mais frutado, com uma cordata acidez, boa estrutura e bastante equilíbrio. Final longo e persistente.

Um branco de consensos alargados!


Nota Pessoal:16,5
Preço: €12,5 (Ref.)

quinta-feira, janeiro 05, 2017

Mirabilis Grande Reserva 2015



 Região (DOC): Douro / Castas: Viosinho, Gouveio e VV / Produtor: Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo / Enólogo: Jorge Alves & Sónia Pereira / Tipo: Branco / Ano: 2015 / Álcool: 14%. 


Mesmo antes de chegar ao mercado, já integrava a lista dos vinhos mais pontuados, por Robert ParkerElevado, em pontuação (94-96/100), ao patamar dos grandes vinhos clássicos internacionais, o Mirabilis Grande Reserva 2015, provado por Mark Squires, torna-se, assim, o primeiro branco português a ascender à categoria dos "notáveis vinhos do mundo".

Um branco com o cunho da  Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo,  uma quinta com mais de 250 anos, pertencente, desde 1999, à família AmorimElaborado a partir das castas Viosinho, Gouveio e cerca de 70% de Vinhas Velhas, com mais de 80 anos, originárias de Alijó, Murça e Tabuaço, no Douro.

Mirabilis Grande Reserva 2015 é, acima de tudo, o resultado da excelente interpretação do potencial destas castas, aliado a um processo meticuloso de vinificação, quebrando-se, de certa forma, o estigma de, nesta região, os seus melhores brancos permanecerem a léguas dos seus melhores tintos.

Um branco de tom citrino, límpido e brilhante. Aroma não propriamente muito expressivo, mas bastante refinado e complexo, adornado por uma finíssima fruta branca e subtis tons cítricos, sustentado por uma leve mineralidade, com uma envolvência a baunilhadaNa boca, mostra-se com uma elegância e equilíbrio excecional, textura concentrada e sedosa, sem perder a frescura devido à finíssima acidez que se faz sentir ao longo de toda a prova. Final longo, persistente e, tal como começou, meticulosamente elegante.

Um branco soberbo e superiormente requintado! Sem dúvida, um dos melhores brancos da sua região, o Douro, e de todas as outras, cujo os vinhos tenho provado nestes últimos tempos.

Nota Pessoal:18
Preço: €37 (Ref.)






Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo
5085-222 Covas do Douro
Tel: (+351) 254 730 420
E-mail: quintanova@amorim.com

domingo, maio 22, 2016

Titular: Touriga Nacional - 2012



Região (DOC): Dão / Castas:Touriga Nacional / Produtor: Caminhos Cruzados /       Enólogo:Carlos Magalhães & Manuel Vieira / Tipo: Tinto / Ano: 2012 / Álcool: 13,5%. 


Há quem, pela elegância dos seus vinhos, o denomine de "Borgonha Portuguesa", o Dão! Região que, paulatinamente, tem vindo a recuperar algum do alento vitivinícola de outrora. Vinhos finos, elegantes e complexos, com uma acidez excecíonal, capazes de se perpetuar no tempo como poucos, eram  ou "são" estas as caraterísticas dos notáveis vinhos do Dão.

Felizmente neste últimos tempos, alguns dos projetos mais antigos ganharam ânimo e outros novos vão surgindo. Entre enófilos, é claramente uma região muito amada, aqui procuram-se vinhos elegantes, com complexidade e cunho de identidade. Enfim! O que muitos tentam e alguns conseguem!

Do projeto familiar, mais ou menos recente, denominado Caminhos Cruzados, deixo-vos este Titular: Touriga Nacional 2012, um tinto de gama média/alta que, pode de certa forma ser denominado como um, belo vinho do Dão. Para além do mais esta é região berço da Touriga Nacional, é aqui, que esta casta, exibe os seus mais genuínos predicados. Pelas suas reconhecidas qualidades, acabou difundida pelos quatro cantos do País, virou moda, banalizada. Na realidade, quer se goste mais ou menos é, com toda a justiça, a casta tinta portuguesa mais relevante do País.   

Um tinto de tom rubi levemente carregado. Aroma medianamente intenso, onde notas a fruta silvestre se combinam com leves tons florais e com uma belíssima envolvência vegetal, algo especiado e com excelentes apontamentos a tosta e chocolate negro. Na boca mostra-se bastante amplo e fresco, muito bem dimensionado, confere as notas a fruta silvestre, um leve balsâmico e boas notas tosta,  taninos presentemente bastante cordatos. Termina longo e persistente.

Um belo Touriga Nacional, muito capaz de perturbar os avessos à casta,  bom pendor gastronómico e excelente relação qualidade/preço. Recomendo vivamente!

Nota Pessoal:17
Preço: €11(Ref.)






Caminhos Cruzados
Largo Vasco da Gama, n. 23
3520-079 Nelas
Tel: (+351) 232 940 195
E-mail:  geral@caminhoscruzados.net

terça-feira, abril 19, 2016

Solar dos Lobos - Reserva 2013



Região (DOC): Alentejo / Castas: Alicante Boushet,Touriga Nacional e Syrah / Produtor: Silveira & Outro, Lda. / Enólogo: Susana Esteban e Mariana Pinto  / Tipo: Tinto / Ano: 2013 / Álcool: 15%. 


No Alentejo nascem vinhos de muitos agrados, vinhos redondos e macios, gulosos diria. Alguns, os mais elegantes e frescos, são mesmo, a par de outros,  dos melhores que por cá se produzem.

Do Redondo mais propriamente da, Herdade Vale D’Anta,  chega-nos este Solar dos Lobos - Reserva 2013, um belo tinto, ainda com a assinatura de Susana Esteban e da atual enóloga Mariana Pinto. Um projeto familiar, assente numa forte tradição alentejana, presentemente confiada a cinco primos, dos quais os irmãos Filipa e Miguel Lobo da Silveira são os timoneiros.

E assim, aqui está este belíssimo tinto de, tom rubi moderadamente profundo, nariz intenso e fresco, pejado de notas a fruta negra madura, envoltas num subtil tom floral e onde tons de chocolate se combinam com leves apontamentos a tosta. Na boca mostra-se cheio e redondo, um conjunto equilibrado e bem dimensionada, onde a boa furta madura se exibe sustentada por uma frescura bastante cordata. De tom bastante sedutora e guloso, termina longo e persistente.

Um belo tinto, inconfundivelmente alentejano, que fará as delícias de muita gente. Relação qualidade/preço justa!


Nota Pessoal:16,5
Preço: €12,90(Ref.)






Herdade Vale D’Anta
Estrada da Serra D’Ossa (Estrada Regional 381)
7170-118 Redondo
Tel: (+351) 266 909 438
E-mail:  filipa.silveira@bottleandbox.pt

domingo, abril 03, 2016

Casa Amarela (branco) - Reserva 2014



Região (DOC): Douro / Castas: Viosinho, Rabigato, Malvasia Fina / Produtor: Laura Valente Regueiro, Lda. / Enólogo: Jean-Hugues Gros  / Tipo: Branco / Ano: 2013 / Álcool: 13,5%. 


Um branco oriundo dQuinta da Casa Amarela, localizada na margem esquerda do Rio Douro, entre a Régua e Lamego, no coração da mais antiga região demarcada do mundo o "Douro"Um projeto familiar, gerido com grande paixão e dedicação, pelo qual nutro alguma simpatia.

Em, 2013, o "Selection"  viria a dar lugar ao "Reserva", em minha opinião, apenas um pequeno passo para o, já notável, "Selection",  agora numa versão da qual se intenta um pouco mais de estrutura. 

De tom amarelo citrino dourado. Nariz agradavelmente expressivo, marcado por notas a fruta branca madura com um leve tom vegetal e subtis apontamentos a tosta. Na boca mostra-se levemente encorpado,  onde a fruta se perpetua sustentada por uma acidez cordata. Final longo.

Um branco prazeroso, excelente para acompanhar peixes estufados, caldeiradas  e mesmo algumas massas leves. Não o queria rotular de branco de inverno, mas com este perfil talvez não fique muito longe desta denominação. 


Nota Pessoal:16
Preço: €12(Ref.)







Quinta da Casa Amarela
Riobom
5100-421 Lamego
Tel: (+351) 254 666 200
E-mail:  quinta@quinta-casa-amarela.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...